Tratamento do Retinoblastoma

Centro de Atenção Integral à Criança com Retinoblastoma

 

DAN_6916-1024x688

 

Em novembro de 2011, foi inaugurado o Centro de Atenção Integral à Criança com Retinoblastoma, no Ambulatório de Oncologia Pediátrica do Hospital Santa Marcelina, mantido em parceria com a TUCCA, localizado em Itaquera, na Zona Leste de São Paulo.

Referência no tratamento do retinoblastoma, o tumor ocular mais prevalente na infância, o centro está equipado com aparelhos de última geração e oferece opções terapêuticas de ponta, como a quimioterapia intra-arterial, uma técnica minimamente invasiva, que permite a administração de doses muito menores de medicamentos e, consequentemente, menos efeitos colaterais.

Na maioria dos casos, a técnica tem permitido a preservação do olho e da visão da criança.

Esse procedimento é realizado em pouquíssimos centros de excelência no mundo. A expertise no tratamento desse tumor foi compartilhada pelo Dr. Sidnei Epelman, diretor do serviço de Oncologia Pediátrica e Presidente da TUCCA, em dois encontros internacionais ocorridos 2014: o One Retinoblastoma World, realizado no Canadá e no evento que celebrou os 100 anos do programa de retinoblastoma do Memorial Sloan-Kettering

Cancer Center, em Nova York, um dos hospitais mais renomados do mundo.

“Nós realizamos no Hospital o atendimento integral das crianças com retinoblastoma, sem qualquer custo ao paciente ou à sua família. Atendemos todas as necessidades em termos de diagnóstico, tratamento e reabilitação”, destaca Dr. Sidnei Epelman.

Apesar da complexidade e agressividade da doença, o retinoblastoma pode ser identificado muitas vezes em uma simples foto com flash da criança. Isso porque o olho afetado aparece com uma mancha branca, que pode ser o reflexo do tumor.

O Hospital possui também equipamentos de ponta, que são utilizados para contribuir com o diagnóstico preciso e tratamento do retinoblastoma, aumentando as chances de cura da doença, como o RetCam3.